ShopTorres

domingo, 29 de agosto de 2010

Técnica corrige má-formação do coração

27/08/2010 - 14h26

Técnica corrige má-formação do coração sem usar artifício

GABRIELA CUPANI
DE SÃO PAULO 

Uma técnica cirúrgica inédita no mundo, desenvolvida na Beneficência Portuguesa, permite fazer uma correção anatômica de uma má formação no coração em que as principais artérias se encontram invertidas. O procedimento preserva as válvulas desses vasos, o que pode evitar novas cirurgias.
O problema, chamado de transposição de grandes artérias, é uma das principais causas de cianose ao nascer (coloração azulada da pele) e pode levar à morte.

Editoria de Arte/Folhapress   
Como a posição dos vasos está invertida, a aorta, que deveria levar o sangue oxigenado para o corpo, recebe o sangue pobre em oxigênio. A artéria pulmonar, por sua vez, conduz o líquido oxigenado de volta aos pulmões.
Na técnica clássica, o fluxo é corrigido colocando um tubo com uma válvula entre o ventrículo direito e as artérias pulmonares. Por ser artificial, esse tubo sofre calcificação com o tempo. À medida que a criança cresce, há uma desproporção que exige novas cirurgias.
Na nova técnica, os médicos apenas invertem os vasos, preservando as válvulas de cada um deles, sem a necessidade de usar próteses.
Até agora, duas crianças passaram pela cirurgia. "É preciso acompanhar mais pacientes por um período de tempo para verificar se as válvulas acompanharão o crescimento", diz o cirurgião Gláucio Furlanetto.
http://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/789936-tecnica-corrige-ma-formacao-do-coracao-sem-usar-artificio.shtml

Um comentário:

Ministério da saúde disse...

Olá!

Você sabia que a Doença Falciforme é uma doença hereditária e que foi diagnosticada pela primeira vez há 100 anos? A anemia crônica e crises dolorosas em ossos, músculos e articulações podem ser um sinal da existência dessa doença, diagnosticada pelo Teste do Pezinho ou por exames de sangue. A descoberta do diagnóstico da Doença Falciforme começou há um século. A sua pode começar agora. Saiba mais em: http://bit.ly/9CJMlV

Para mais informações:
comunicacao@saude.gov.br
www.formspring.me/minsaude