ShopTorres

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Falar ao celular afeta atividade cerebral... Será?

Celular afeta atividade cerebral; impacto para a saúde não está claro

Estudo determina que uma chamada de apenas 50 minutos é suficiente para mudar a atividade celular na parte do cérebro mais próxima da antena

23 de fevereiro de 2011 | 10h 52
 
Reuters
CHICAGO - Passar 50 minutos com um celular "grudado na orelha" já é o suficiente para mudar a atividade celular na parte do cérebro mais próxima da antena. No entanto, ainda não está claro se essas mudanças podem acarretar algum tipo de problema de saúde, afirmam os cientistas do Instituto Nacional de Saúde, acrescentando que o estudo provavelmente não irá revolver as preocupações recorrentes envolvendo celulares e câncer.

"O que nós mostramos é que o metabolismo de glucose (um sinal de atividade cerebral) aumenta no cérebro das pessoas que são expostas ao celular na área mais próxima à antena", disse Nora Volkow, líder do estudo, que foi publicado no Jornal da Associação Médica Americana.
O estudo foi desenvolvido para examinar como o cérebro reage a campos eletromagnéticos provocados por sinais de telefone.
 Reuters
Falar ao celular afeta atividade cerebral

Volkow afirmou estar surpresa que a fraca radiação eletromagnética dos celulares possam afetar a atividade celular, mas ela disse que as descobertas não esclarecem ainda se os celulares podem provocar câncer. "Esse estudo não indica isso de nenhuma forma. O que nosso estudo faz é mostrar que o cérebro humano é sensível à radiação eletromagnética dos celulares."
Alguns estudos já ligaram o uso de celulares ao risco de câncer, no entanto um grande estudo da Organização Mundial de Saúde foi inconclusivo.
A pesquisa de Volkow avaliou o cérebro de 47 pessoas enquanto falavam ao celular por 50 minutos. A equipe também analisou um grupo controle que usou celulares desligados.
 http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,celular-afeta-atividade-cerebral-impacto-para-a-saude-nao-esta-claro,683436,0.htm

Diania criatura que pode ter precedido aranhas

25/02/2011 - 14h55

Chineses descobrem criatura que pode ter precedido aranhas

DA EFE

Uma equipe de pesquisadores chineses encontrou o fóssil de uma criatura de 520 milhões de anos, apelidada de "cacto andante", que poderia ser o antepassado mais antigo descoberto até agora das atuais aranhas.
A bizarra criatura, com dez pares de patas articuladas e seis centímetros de comprimento, se chama Diania cactiformis e é o primeiro elo perdido conhecido entre os vermes e os artrópodos.
A Diania habitava o fundo marinho do que hoje é a província de Yunnan, na cordilheira do Himalaia e ao sudoeste do país asiático.

Jianni Liu/AFP
  Imagem computadorizada mostra como seria o "cacto andante"; idade da criatura era de 520 milhões de anos


"A importância da Diania para a biologia é que os artrópodos são um dos grupos de animais invertebrados de maior sucesso e é muito bonito haver descoberto o que pode ser o animal mais primitivo deste grupo com patas articuladas", assinalou à agência de notícias Efe Jianni Liu, líder da equipe de pesquisa conjunta entre a Universidade de Freie, na Alemanha, e a do Noroeste da China, em Xian.
Liu acrescentou sobre a descoberta: "É importante porque apresenta evidências que os artrópodos evoluíram a partir dos lobopódios". Isto é, os antepassados dos vermes, cujos registros fósseis se remontam ao período Cambriano.
Os corpos brandos dos extintos lobopodios eram formados por segmentos e suas patas costumavam acabar em uma unha em seus extremos.
O fóssil da Diania cactiformis foi descoberto em 2006 durante uma prospecção no distrito de Chengjian, em Yunnan, e poderia ser o membro mais evoluído dos lobopodios ou mesmo o primeiro artrópodo, que atualmente represente mais de 80% dos espécies vivas.
A doutora Liu acaba de publicar na revista "Nature" a tese na qual ela e sua equipe estiveram trabalhando. O artigo trata da habilidade que Diania tinha de se deslocar e saltar com agilidade.
A equipe acredita que alguns dos apêndices da Diania evoluíram até se transformar em articulações que deram mais capacidade de sobrevivência aos artrópodos.
http://www1.folha.uol.com.br/ciencia/881094-chineses-descobrem-criatura-que-pode-ter-precedido-aranhas.shtml

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Braço controlado pelo pensamento nos EUA

18/02/2011 - 01h45

Cientistas apresentam braço controlado pelo pensamento nos EUA

DA EFE

A tecnologia pode ser o melhor aliado do homem, como demonstrou na noite de quinta-feira (17) um grupo de cientistas que apresentaram o primeiro braço biônico que pode ser movido com impulsos cerebrais.
"A mente, o corpo e a máquina" foi o tema com o qual foi inaugurada a reunião anual da Associação Americana para o Avanço da Ciência (AAAS, na sigla em inglês), que este ano é realizada em Washington.
Coube ao doutor Todd Kuiken, diretor do centro de medicina biônica e diretor do departamento de amputados do Instituto de Reabilitação de Chicago (RIC), apresentar no fórum a tecnologia batizada de TMR (em inglês, "targeted muscle reinnervation", algo como reenervação muscular seletiva).
Kuiken e sua equipe desenvolveram este inovador procedimento cirúrgico que redireciona os sinais do cérebro aos nervos dos músculos que ficam sãos após uma amputação, permitindo que os pacientes controlem suas próteses apenas pensando nas ações que desejam realizar.
Utilizando esta tecnologia, Kuiken e sua equipe criaram o primeiro braço biônico do mundo controlado pelos nervos, que obedecem aos impulsos cerebrais do paciente e que até o momento foi implantado em 50 pessoas em todo o mundo, muitos deles militares feridos em combate.
A ideia é no futuro criar uma perna biônica com a mesma tecnologia, explicou Kuiken, que esteve acompanhado de Martin Baechler, cirurgião do Walter Reed Army Medical Center, e de Glen Lehman, um sargento aposentado que perdeu um braço no Iraque e que se beneficiou da nova criação.
Kuiken e sua equipe seguem desenvolvendo o procedimento TMR para continuar melhorando a mobilidade dos pacientes tornando mais eficiente a decodificação do sinal bioelétrico e promovendo ajustes nos sistemas de controle das próteses.

Editoria de Arte/Folhapress

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Repelentes naturais de insetos domésticos

17/02/2011 - 08h30

Veja dicas de soluções naturais para espantar insetos

Esses insetos que se multiplicam nas nossas casas, especialmente no verão, são inofensivos. Mas os venenos para combatê-los, não.
Antes de passar para a artilharia pesada, tente espantar os hóspedes indesejados com soluções naturais, que não ameaçam a saúde das crianças ou dos animais domésticos.
O entomologista Carlos Alberto Brandão lembra que alguns insetos até ajudam a manter outros longe. As formiguinhas, comuns em apartamentos, ajudam controlar as baratas, porque comem seus ovos.

Pernilongos
 Letícia Moreira/Folhapress
Manjericão dá um bom repelente e casca de laranja pode ser colocada em aparelhos elétricos, no lugar de inseticida

O cheiro da casca da laranja, do cravo, do limão, do manjericão e da citronela espanta os pernilongos. Para fazer um repelente, misture 100 gramas de folhas de manjericão, 100 gramas de citronela e um litro de álcool no liquidificador. Bata tudo, coe e coloque em um recipiente vedado. Uma vez por dia, pulverize o ambiente.
No lugar daqueles refis em pastilha dos aparelhos elétricos contra insetos, experimente usar um pedaço de casca da laranja ou de limão-siciliano.
Para fazer um repelente corporal, mergulhe um pacote de cravos no álcool por 30 dias. Depois, coe a mistura e junte 50 ml de óleo de amêndoas. Pode passar na pele, que é bom. Outra opção é misturar 200 ml de óleo mineral com 30 ml de óleo de andiroba e 30 ml de óleo de citronela -à venda em lojas de produtos naturais

Traças
 Letícia Moreira/Folhapress
Sachês feitos em casa para proteger livros e roupas

Para exterminar traças e seus ovos de livros e pequenos objetos coloque-os dentro do freezer, em sacos plásticos vedados, por dois dias.
Sachês com folhas secas de lavanda, pimenta caiena, casca de cedro ou sálvia também espantam traças.
Passar óleo de lavanda nas superfícies onde ficam os livros também ajuda a manter as bichas longe dos armários

Carunchos
 
Letícia Moreira/Folhapress
Louro é uma boa arma contra carunchinhos

Os carunchos conseguem entrar em caixas de cereais e pacotes. Uma forma de evitar que isso aconteça é armazenar os alimentos que são alvo desse bichinho ( arroz, trigo e feijão) com algumas folhas secas de louro.
Uma medida preventiva é colocar os pacotes recém-comprados dentro do congelador por dois dias. Isso vai matar ovos que possam já estar dentro da embalagem

 Formigas
 Letícia Moreira/Folhapress
Dupla cheirosa para a gente, terrível para elas

Cheiro de cravo, limão-siciliano e louro tem bons resultados para espantar formigas.
Outro aroma do qual elas não gostam é o do vinagre branco. Misture o vinagre em partes iguais com água e pulverize no caminho das formigas. Para evitar ataques à comida dos animais de estimação, ponha a tigela em uma bandeja com água.
Para que elas não subam até as folhas da sua árvore, envolva o tronco com fita adesiva dupla face até a altura de 7 cm .

Baratas
 Letícia Moreira/Folhapress
Ingredientes para pegar as nojentas

Armadilha atóxica: besunte vaselina sólida nas paredes internas de um vidro. Dentro, coloque dois dedos de cerveja, pedaços de frutas e gotas de extrato de amêndoa. As baratas vão ficar presas no vidro. Depois, jogue água fervendo e despeje na privada.
Outras opções: misture açúcar e bicarbonato de sódio (que mata os bichos) e espalhe em vasilhas pela casa; ou pingue óleo essencial de alecrim e eucalipto em algodão e distribua nos cômodos

http://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/876683-veja-dicas-de-solucoes-naturais-para-espantar-insetos.shtml 

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Fumar maconha e esquizofrenia

11/02/2011 - 08h30

Fumar maconha pode adiantar o aparecimento da esquizofrenia

Publicidade
 
GUILHERME GENESTRETI
DE SÃO PAULO
Fumar maconha pode adiantar em quase três anos o aparecimento de esquizofrenia e de outros quadros psicóticos.
A conclusão é de uma revisão de 83 estudos científicos já publicados sobre a relação entre o consumo dessa erva e o transtorno.
Os resultados, divulgados no periódico médico "Archives of General Psychiatry", dão mais munição a pesquisadores que se opõem à liberação da substância ilícita.
No total, os pesquisadores das universidades de New South Wales, Austrália, e Emory, EUA, avaliaram dados de mais de 22 mil portadores de distúrbios psicóticos _sendo 8.167 deles usuários de maconha.
A doença aparecia em média 2,7 anos (cerca de 32 meses) antes entre quem consumia a erva do que nos membros do grupo-controle.
"Acredito que essa relação seja de causa e consequência, e a maconha tem um papel importante [no aparecimento precoce do transtorno] em certas pessoas", disse à Folha o psiquiatra australiano Matthew Large, um dos autores do estudo.
Uma hipótese é que pessoas com predisposição genética para esquizofrenia são mais suscetíveis à influência da maconha.
Nelas, os quadros psicóticos poderiam ser desencadeados pela alteração na concentração de neurotransmissores como dopamina e serotonina, causada pela droga, o que desregularia o funcionamento cerebral.
"Pessoas com histórico familiar de esquizofrenia devem ser instruídas a jamais usar essa droga. Não dá pra arriscar", diz Hélio Elkis, coordenador do Projeto Esquizofrenia do Hospital das Clínicas de São Paulo.
Segundo o psiquiatra, quanto mais cedo aparece a doença, pior o prognóstico. "Se surge na adolescência, o cérebro não teve tempo de se desenvolver completamente." Isso piora o deficit cognitivo, próprio do transtorno.

Editoria de Arte / Folhapress   
ANSIOLÍTICO
Mas para Marcelo Niel, psiquiatra do Programa de Orientação e Atendimento a Dependentes da Unifesp, deve-se ter cuidado ao fazer a relação direta entre esquizofrenia e uso da cânabis.
"Em alguns pacientes com vulnerabilidade, isso pode acontecer, mas há fatores que devem ser considerados", ressalva.
Niel afirma que, como a esquizofrenia geralmente começa quando os indivíduos são adolescentes ou adultos jovens, pode ser que o consumo da substância esteja mais relacionado a um hábito do grupo social naquela idade do que a uma causalidade.
"E muitos pacientes esquizofrênicos começam a fumar maconha para aliviar os sintomas do estágio inicial da doença, como ansiedade e depressão", diz.
Matthew Large, o autor do estudo, sugere: "Jovens deveriam evitar o uso de maconha ou, mais precisamente, deveriam se conscientizar sobre os seus riscos.
Como informá-los disso já é outra história", completa.

http://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/873922-fumar-maconha-pode-adiantar-o-aparecimento-da-esquizofrenia.shtml